carregando
F1

Antes do primeiro pódio, Kvyat ficou abalado por homenagem a Bianchi na Hungria, diz chefe da Red Bull

Christian Horner disse que Daniil Kvyat levou certo tempo a se ‘encontrar’ no GP da Hungria, no último domingo, depois de o russo se emocionar com a homenagem feita a Jules Bianchi, morto no último dia 17 de julho. Pela primeira vez, o jovem viu a morte de perto na profissão

Warm Up / Redação GP, de Sumaré
Há mais de duas décadas que a F1 não via um piloto em atividade morrer em decorrência de um acidente em pista. A morte do jovem e talentoso Jules Bianchi, em 17 de julho, abalou o mundo do esporte e abalou os pilotos. No último domingo (26), Hungaroring foi palco de uma tocante homenagem ao francês, com os pilotos formando um círculo durante um minuto de silêncio em sua memória pouco antes da largada do GP da Hungria.

A homenagem abalou muito Daniil Kvyat. Quem afirma é o chefe da Red Bull, Christian Horner. O piloto russo de 21 anos jamais havia visto a morte tão de perto na sua profissão de piloto e se emocionou com o tributo a Jules, tanto que levou certo tempo para se ‘encontrar’ na corrida.
O NOVO PROJETO DO GRANDE PRÊMIO
Flavio Gomes: nossos patrões — os detalhes do projetoColabore com o projeto e ganhe uma camiseta da Red Bull
Kvyat abraça pai de Bianchi durante homenagem em Hungaroring (Foto: AP)
“Estava assistindo-o no começo, e você pode ver que toda a homenagem ao Bianchi lhe causou problemas. Ele se emocionou muito ao entrar no carro. O tributo a Bianchi abalou a mente dos pilotos, e para Danny, em particular, acho que foi muito difícil”, explicou o chefe da Red Bull.

“Acho que ele levou algumas voltas para se acalmar e se encontrar na corrida. Mas foi uma homenagem a Jules”, comentou o dirigente britânico.

Kvyat largou em sétimo, ganhou as posições de Daniel Ricciardo e Nico Hülkenberg na primeira volta, mas depois foi superado pelo piloto da Force India, ficando atrás do alemão em oitavo.

Sua performance começou a evoluir depois da entrada do safety-car. Depois de uma série de problemas com quem estava à sua frente, o russo esteve no lugar certo e na hora certa para, mesmo tendo de lidar com uma punição — por ultrapassar os limites da pista ao tentar passar Lewis Hamilton —, Kvyat cruzou a linha de chegada em segundo. Seu melhor resultado na F1.

O pódio inédito na carreira foi dedicado a Jules. Antes de subir ao pódio, Daniil, emocionado abraçou Philippe Bianchi e dedicou a vitória à memória do seu filho. “Perdemos um cara fantástico. Nossos corações e pensamentos estão com ele e sua família”, declarou.