carregando
F1

Alonso diz que necessidade de controlar carro de forma eficiente faz pilotos de F1 parecerem “de avião”

Fernando Alonso disse que os pilotos da F1 atual parecem pilotos de avião devido a tudo que lhes é exigido na tocada do carro. É preciso ser extremamente eficiente, disse o bicampeão, que não gosta tanto: preferia poder buscar o limite o tempo todo

Warm Up / Redação GP, de São Paulo
Fernando Alonso disse que os pilotos de F1 têm tanta coisa para se preocupar dentro de um carro moderno da categoria que até parecem comandantes de aeronaves — não que ele goste muito disso.
 
E a questão não é referente apenas à quantidade de botões no volante, mas principalmente à necessidade de se fazer tudo de forma eficiente de dentro do cockpit.
 
“Você precisa controlar tudo da melhor e mais eficiente maneira, este é o seu desafio. Provavelmente é como um piloto de avião, eles têm de controlar para que tudo esteja trabalhando bem. É difícil ir até o limite porque, se você fizer isso, algo vai funcionar de uma forma menos eficiente e vai afetar o tempo de volta”, descreveu o bicampeão.
Ser piloto de avião não é bem a coisa mais emocionante para Fernando Alonso (Foto: AP)
A pergunta foi feita no contexto de uma declaração dada pelo também espanhol Carlos Sainz Jr., que disse que a categoria exige demais dos pilotos no aspecto mental — mas nem tanto no aspecto físico.
 
“Há muita comunicação com o time e muitos ajustes no volante para garantir que tudo esteja funcionando eficientemente”, concordou Alonso. “Mesmo no tempo de volta, se você perde meio segundo por cinco voltas porque não está atacando, talvez não seja má ideia, pois os seus pneus ainda estarão em perfeita condição para as voltas seguintes, e você vai ganhar um segundo por volta.” 
 
Mas ele arrematou dizendo que não gosta deste tipo de exigência dos carros: Alonso definiu que a pilotagem, consequentemente, fica “um pouco estranha” e também frustrante.