FE

Di Grassi admite sorte na largada e fala em “vitória incrível em show maravilhoso” da F-E nas ruas de Paris

Lucas di Grassi conquistou a terceira vitória na temporada 2015/2016 na F-E e definiu o triunfo como “incrível” depois de um “show maravilhoso” da categoria elétrica nas ruas de Paris, nesta sábado (23). O brasileiro lidera o campeonato

Warm Up / Redação GP, de Curitiba
Foi uma corrida segura e sem sobressaltos para Lucas Di Grassi em Paris neste sábado (23). Largando da segunda colocação do grid, o brasileiro partiu para cima do pole Sam Bird logo na primeira curva, assumiu a ponta e só não liderou durante as duas voltas em que seu parceiro de time, Daniel Abt, ficou à frente no período da troca de carros. A verdade é que o piloto de 31 anos comandou como quis a corrida francesa da F-E e agora soma três vitórias na temporada 2015/2016, ampliando a liderança do campeonato.
 
Ao comentar o desempenho nas ruas da charmosa capital da França, Di Grassi definiu a corrida como “incrível”, mas deixou claro que, apesar de parecer, o triunfo não veio de forma fácil. A largada e o gerenciamento da temperatura dos pneus também foram determinantes.

“Foi muito mais difícil dentro do carro”, brincou Lucas ao comentar a vitória.
Di Grassi anda com carro da Audi ABT em Paris (Foto: Getty Images)
 
“É uma pista bem traiçoeira. Eu tive também um pouco de sorte na disputa com Sam no começo, porque ele não tracionou bem, e aí eu consegui a ultrapassagem”, completou. “Depois, eu só tentei manter o desempenho, poupar energia e ainda gerenciar a temperatura dos pneus, porque foi uma situação complicada com as temperaturas tão baixas. E aí foi só uma questão de levar o carro até o fim”, acrescentou o competidor.
 
Lucas ainda agradeceu à Abt pelo resultado. “Foi uma vitória incrível e eu só tenho de agradecer à equipe e aos patrocinadores”, falou Di Grassi, lembrando também do espetáculo que a F-E exibiu nas ruas parisienses. “A F-E apresentou um show maravilhoso aqui no centro de Paris. Foi inacredivel. E agora estamos ansiosos para voltar aqui e correr ainda por muitas outras vezes. Mas agora é hora de comemorar com champanhe”, concluiu.
PADDOCK GP #25 FALA SOBRE F1 NA CHINA, INDY, MOTOGP E F-E