Indy
23/06/2013 20:42

Hinchcliffe brilha, controla rivais e vence fácil em Iowa. Inspirado, Kanaan fecha prova em terceiro

Canadense se impôs, liderou praticamente de ponta a ponta e dominou dobradinha da Andretti, com Hunter-Reay, em bela prova de recuperação, chegando em segundo. Kanaan, melhor brasileiro da corrida, superou Rahal na penúltima volta e completou pódio no oval de Newton. Castroneves ficou em oitavo, enquanto Bia abandonou
Warm Up / HUGO BECKER, de Guarulhos
 header hinchcliffe

James Hinchcliffe não teve dificuldades para vencer o GP de Iowa, décima etapa da temporada 2013 da Indy. Inspirado, o canadense assumiu a liderança ainda na primeira volta e só saiu da ponta durante as rodadas de pit-stops.

Em grande atuação, o piloto do carro #27 contou com o bom ritmo da Andretti para controlar a prova e segurar os poucos ataques que recebeu tanto de Marco Andretti quanto de Graham Rahal, um dos grandes destaques da corrida.
Pódio de Iowa, com Hunter-Reay, Hinchcliffe e Kanaan (Foto: Chris Jones/IndyCar)
Com isso, Hinchcliffe alcançou a terceira vitória na carreira e se tornou o primeiro piloto a triunfar três vezes na atual temporada. Ryan Hunter-Reay, em belíssima recuperação, ficou com o segundo lugar, logo à frente de Tony Kanaan, que ganhou a terceira posição na penúltima volta.

Helio Castroneves foi apenas o oitavo, enquanto Bia Figueiredo não completou a prova.

Confira como foi o GP de Iowa, décima etapa da Indy em 2013:

Após a largada, a liderança do pole Will Power durou apenas duas curvas: Hinchcliffe, impetuoso, largou por fora e assumiu a liderança logo na primeira volta. Kanaan ganhou uma posição, subindo para o quinto lugar, enquanto Helio se manteve em 11º.
Hinchcliffe assume liderança na largada em Iowa (Foto: Chris Jones/IndyCar)
Quem logo de cara mostrou a que veio foi Rahal: largando em oitavo, o piloto da RLL fez um início muito forte, travou excelente duelo com Pagenaud e ascendeu ao sétimo posto. 
 
Mais à frente, ao mesmo tempo, Kanaan disputou posições com Ed Carpenter e Andretti e, mostrando o bom acerto de sua KV, assumiu momentaneamente o terceiro lugar. Enquanto isso, Power seguia perdendo posições sucessivamente e, antes da 30ª volta, já havia caído para oitavo, quase fora do top-10.
 
A primeira bandeira amarela veio já no 38ª giro: em duelo com Rahal, Hunter-Reay perdeu o controle e acertou de leve a traseira do carro de seu adversário, danificando o aerofólio dianteiro e deixando alguns detritos na pista. A maior parte dos pilotos partiu para o primeiro pit-stop, mas as posições não se alteraram.
 
A relargada veio na volta 52. Hinchcliffe manteve a liderança, sem ser ameaçado por Carpenter, que naquele momento ocupava o segundo lugar.

Os grandes duelos, neste estágio da prova, estavam no pelotão intermediário, com três ou até quatro carros emparelhados e trocando posições, com alguns toques entre si, mas sem nenhum acidente.
 
Enquanto isso, Hinchcliffe seguia imbatível na liderança, abrindo cada vez mais vantagem. Andretti chegou a recuperar o segundo lugar, mas nem mesmo ele, com equipamento tão competitivo quanto o do canadense, foi capaz de ameaçá-lo. 
 
Um pouco mais atrás, Rahal seguia abrindo caminho e realizando ultrapassagens cada vez mais arriscadas, acima do limite e com direito a toques leves, tanto no muro quanto nos adversários. Assim, enfileirou belas manobras sobre Oriol Servià, Carpenter e Simon Pagenaud e apareceu rapidamente no terceiro lugar, começando a surgir como um dos postulantes à vitória. 
Pelotão em ação no GP de Iowa (Foto: Chris Jones/IndyCar)
Endiabrado, o piloto da RLL precisou de poucas voltas para se aproximar com extrema facilidade também de Andretti e superá-lo, assumindo o segundo lugar. Nas voltas seguintes, ambos trocaram de posições algumas vezes, mas o piloto do carro #15 levou a melhor e se manteve na vice-liderança da prova.
 
Na volta 136, Alex Tagliani provocou a segunda bandeira amarela ao perder a dianteira, raspar no muro e rodar, ficando atravessado na entrada do pit-lane. O canadense, no entanto, ainda conseguiu prosseguir na corrida e só abandonou algumas voltas depois.
 
Nova relargada, com Hinchcliffe ainda na liderança, seguido por Rahal e Andretti. Hunter-Reay, em grande reinício, deu continuidade à sua recuperação e saltou da nona para a sexta posição em uma única volta, se colocando também como um dos grandes nomes da prova e possíveis candidatos à vitória.
 
Mas Hinchcliffe estava imbatível. Seu triunfo, na realidade, só foi ameaçado de fato uma única vez, na relargada após breve bandeira amarela por conta de detritos na pista. Rahal, determinado a vencer em Iowa e com excelente acerto em seu carro, colocou por fora e emparelhou com o canadense durante uma volta inteira, chegando inclusive a ficar na frente por meio carro.
 
Mas o motor Chevrolet da Andretti de James falou mais alto que o Honda da RLL de Graham, e o carro verde ganhou a 'queda de braço' e permaneceu na primeira posição. A partir daí, restou a Hinch controlar o ritmo até o final.
Hinchcliffe celebra vitória em Iowa com a bandeira canadense (Foto: Chris Jones/IndyCar)
Pouca coisa aconteceu a partir deste momento. Nem mesmo a última rodada de pit-stops, aberta na volta 190, alterou o cenário em relação à disputa pela vitória. 
 
Os giros finais, no entanto, foram dominados por Hunter-Reay – que enfileirou ultrapassagens sobre Pagenaud, Servià, Andretti e Rahal e pulou para a segunda posição –, e por Kanaan, que na penúltima volta, se valeu da queda de desempenho de Graham e o tirou do pódio, ficando com o terceiro lugar. 
 
Carpenter também acabou superando o carro #15 no último giro e fechou em quarto lugar, relegando o filho de Bobby a uma excelente quinta posição, com Pagenaud completando o top-6.
 
Castroneves, em desempenho discreto, chegou a flertar com os primeiros lugares, mas não conseguiu ir além do oitavo posto – suficiente, no entanto, para mantê-lo como líder do campeonato. Bia, discreta, em nenhum momento conseguiu deixar o fundo do grid e abandonou já no quarto final da prova.
 
Destaque negativo para Dario Franchitti, que teve desempenho muito abaixo do esperado e levou nada menos que quatro voltas de Hinchcliffe, cruzando a linha de chegada em uma melancólica 20ª posição.
 
Indy, GP de Iowa, Final:

1 James HINCHCLIFFE CAN Andretti Chevrolet   250 voltas
2 Ryan HUNTER-REAY EUA Andretti Chevrolet +1.500  
3 Tony KANAAN BRA KV Chevrolet +1.689  
4 Ed CARPENTER EUA Carpenter Chevrolet +2.760  
5 Graham RAHAL EUA RLL Honda +3.020  
6 Simon PAGENAUD FRA Schmidt Honda +6.665  
7 Oriol SERVIÀ ESP Panther Chevrolet +9.700  
8 Helio CASTRONEVES BRA Penske Chevrolet +10.685  
9 Marco ANDRETTI EUA Andretti Chevrolet +12.713  
10 Ernesto VISO VEN Andretti Chevrolet +17.615  
11 Justin WILSON ING Dale Coyne Honda +1 volta  
12 Charlie KIMBALL EUA Ganassi Honda +1 volta  
13 Tristan VAUTIER FRA Schmidt Honda +2 voltas  
14 Sébastien BOURDAIS FRA Dragon Chevrolet +2 voltas  
15 Josef NEWGARDEN EUA Fisher Hartman Honda +2 voltas  
16 Scott DIXON NZL Ganassi Honda +3 voltas  
17 Will POWER AUS Penske Chevrolet +3 voltas  
18 James JAKES ING RLL Honda +3 voltas  
19 Sebastián SAAVEDRA COL Dragon Chevrolet +3 voltas  
20 Dario FRANCHITTI ESC Ganassi Honda +4 voltas  
21 Simona DE SILVESTRO SUI KV Chevrolet +7 voltas  
22 Bia FIGUEIREDO BRA Dale Coyne Honda 183 voltas NC
23 Takuma SATO JAP Foyt Honda 162 voltas NC
24 Alex TAGLIANI CAN Bryan Herta Honda 139 voltas NC
 

//