F1

Wolff chama toque de inaceitável e ressalta que Mercedes tem única regra: “Não batam um no outro”

Diretor-esportivo da Mercedes não escondeu a irritação com o toque entre seus dois pilotos na segunda volta do GP da Bélgica deste domingo (24). Vitória terminou com Daniel Ricciardo, da Red Bull

Warm Up / Redação GP, de São Paulo
A cobertura completa do GP da Bélgica no GRANDE PRÊMIO
As imagens do domingo da F1 em Spa-Francorchamps
O passo a passo da 12ª etapa do Mundial de F1
icone_TV Automobilismo na TV: a programação do fim de semana

A Mercedes esperava, desde o início do ano, que em algum momento Lewis Hamilton e Nico Rosberg fossem se tocar. Toto Wolff falou isso várias vezes. Neste domingo (24), em Spa-Francorchamps, aconteceu na segunda volta do GP da Bélgica — e os chefes da equipe alemão não ficaram nada contentes.

Após a prova, Toto Wolff e Niki Lauda não se preocuparam em esconder a irritação e a insatisfação com o lance que custou a vitória na 12ª etapa do campeonato — Daniel Ricciardo venceu. Os comissários decidiram não punir Rosberg, que terminou o GP em segundo e abriu 29 pontos de vantagem no Mundial de Pilotos. Hamilton abandonou.

Wolff, diretor-esportivo do time, afirmou que o incidente é “inaceitável”. Não quis tomar partido, mas deu a impressão de que não gostou da postura de Rosberg.

“Não devemos tirar nenhuma conclusão aqui na imprensa tão logo depois da corrida, as emoções ainda estão à flor da pele, mas há uma regra: não batam um no outro. Foi o que aconteceu hoje, e não no final da corrida, foi na segunda volta”, declarou à TV inglesa Sky Sports.

Niki Lauda também comentou e se mostrou nada contente com o que fez Rosberg na segunda volta. O tricampeão disse que haverá uma reunião com todos os membros do time às 11h45 (de Brasília) para discutir essa corrida, e é aí que o assunto será abordado internamente.
Hamilton assumiu a ponta na largada do GP da Bélgica (Foto: Mark Thompson/Getty Images)