F1
08/07/2018 11:40

Em final espetacular, Vettel se vale de toque entre Hamilton e Räikkönen e vence GP da Inglaterra

O GP da Inglaterra teve de tudo: acidentes fortes, intervenções do safety-car e grandes disputas envolvendo Mercedes e Ferrari. No fim das contas, valeu o melhor rendimento dos pneus macios de Sebastian Vettel no fim para estragar a festa de Lewis Hamilton e vencer em Silverstone
Warm Up / FERNANDO SILVA, de Sumaré
 Sebastian Vettel (Foto: Ferrari)

Que corrida maravilhosa! O GP da Inglaterra foi um dos melhores de toda a temporada 2018 da F1. A prova deste domingo (8) teve de tudo um pouco: grandes disputas, alguns acidentes, intervenções do safety-car e dois embates diretos entre Mercedes e Ferrari. A festa estava toda preparada para o dono da casa, Lewis Hamilton, que caiu para último no fim do grid após o toque com Kimi Räikkönen no começo. Mas após uma reação espetacular, o britânico conseguiu até ficar perto da vitória. Mas Sebastian Vettel tirou proveito não apenas do incidente com seu maior rival, mas também da melhor estratégia traçada pela Ferrari ao ter feito um segundo pit-stop após a batida envolvendo Romain Grosjean e Carlos Sainz. Grandiosa vitória do alemão na casa de Hamilton, com Kimi Räikkönen completando o pódio.

A vitória de Seb em Silverstone foi a 51ª da sua carreira, feito que o igualou a outro tetracampeão, Alain Prost. Uma conquista ainda maior por conta de todas as dores no pescoço sofridas por Vettel desde sábado. Mas Hamilton também tem muitos motivos para comemorar depois de se ver no fundo do pelotão, conseguir reagir e salvar pontos importantes e minimizar o estrago no começo da corrida para finalizar em segundo, à frente de um Räikkönen em grande forma.
Vettel faz a festa da Ferrari na casa de Hamilton neste domingo em Silverstone (Foto: Ferrari)
Menção honrosa também para Valtteri Bottas, que assim como Hamilton, seguiu para uma estratégia de uma parada traçada pela Mercedes. Assim, tanto o finlandês como o britânico resistiram no fim com pneus médios já gastos contra as Ferrari de pneus macios e mais novos. Com uma grande pilotagem, Bottas se defendeu muito bem dos ataques de Vettel quando liderava, na reta final da corrida, mas não conseguiu evitar a ultrapassagem do alemão, que deu o bote e partiu para uma vitória triunfal na terra do rival.

Daniel Ricciardo terminou em quinto depois de ver o companheiro de Red Bull, Max Verstappen, rodar e sair da zona de pontuação. Nico Hülkenberg, outro que teve um grande desempenho com a Renaut, foi o sexto, à frente da Force India de Esteban Ocon e da McLaren de Fernando Alonso. Kevin Magnussen, da Haas, foi o nono, enquanto Pierre Gasly voltou a pontuar com a Toro Rosso e foi o décimo.

Como foi o GP da Inglaterra de F1

Com 53ºC na pista e toda a expectativa para a largada, os dois rivais na batalha pelo penta dividiram a primeira fila. Vettel se deu muito bem desde o começo, superou Hamilton e assumiu a liderança. Nas curvas seguintes, Lewis foi tocado por Kimi Räikkönen, rodou e caiu para a última posição. Bottas subiu para segundo e Verstappen era o terceiro, enquanto Räikkönen ainda conseguiu passar Daniel Ricciardo para passar a primeira volta em quarto lugar.

Destaque para Nico Hülkenberg, que conseguiu aproveitar toda a confusão e pulou para sexto, ficando à frente de Charles Leclerc, Esteban Ocon, Carlos Sainz, Kevin Magnussen e Fernando Alonso em P11. Hamilton, mesmo com o carro avariado, conseguia remar e subia para 14º após passar Sergio Pérez, Lance Stroll, Sergey Sirotkin, Stoffel Vandoorne e Marcus Ericsson. Brendon Hartley, que tinha a previsão de largar no pit-lane, sequer conseguiu sair dos boxes.



Lewis continuava abrindo caminho e já avançava para a décima colocação, mas reclamava que a traseira do seu Mercedes estava se mexendo muito. O britânico teria mais uma posição a conquistar depois que a direção de prova anunciou punição de 10s para Räikkönen pela batida. Uma sanção vista como exagerada por conta da natureza do contato, um toque habitual de corrida. Lá na frente, Vettel nadava de braçada e já tinha 5s de frente para Bottas.

Com o carro muito superior ao restante do grid, Hamilton subia para oitavo após nove voltas depois de ter superado a Force India de Esteban Ocon sem maiores problemas. Na volta seguinte, o tetracampeão não tomou conhecimento da Sauber de Charles Leclerc e ganhou mais uma posição, partindo para atacar Nico Hülkenberg na briga pelo sexto lugar, o que aconteceu, também sem nenhuma dificuldade, na volta 11.

Enquanto apertava o ritmo para se aproximar de Verstappen, Räikkönen questionava a Ferrari sobre a melhor tática e travou uma discussão com o estrategista via rádio. "Não me deixam pensar mais". Irritado, o finlandês parou cedo, na volta 14, para colocar pneus médios e tentar ir até o fim. Antes, cumpriu a punição de 10s. O 'Homem de Gelo' voltou em 11º, que virou nono após passar Kevin Magnussen e Sainz. Kimi vinha com a melhor volta da corrida naquele momento: 1min32s270.

Terceiro colocado com uma corrida tranquila, Verstappen fez seu pit-stop na volta 18 para colocar pneus médios e buscar ir até o fim. O holandês da Red Bull caiu para quinto, enquanto Räikkönen ganhava mais uma posição e avançava para o sétimo lugar após passar aquele que é apontado como seu sucessor na Ferrari: Leclerc.

Hamilton, após ter ganho a posição com a parada de Verstappen, voltou a ocupar um lugar no top-3 após Ricciardo fazer sua troca de pneus. Cerca de 27s separavam Hamilton do líder, Vettel. Também na volta 20, Leclerc perdeu uma grande chance de voltar a pontuar. Logo após o pit-stop feito pela Sauber, o monegasco encostou seu carro e abandonou a disputa.

A Ferrari escolheu a volta 21 para Vettel fazer seu pit-stop. O alemão perdeu momentaneamente a liderança para Bottas, mas voltou pouco mais de 2s à frente de Hamilton. Bottas foi ao pit-ane uma volta depois e 'devolveu' a liderança a Seb. Hamilton teria de arriscar para poder ao menos salvar pontos importantes e terminar no pódio.

Uma cena rara aconteceu pouco depois: a Mercedes pediu que Hamilton abrisse passagem para Bottas, que fez a ultrapassagem no fim da reta Wellington. O finlandês tinha pneus em melhor estado e tinha de partir para cima de Vettel. Valtteri estava 3s7 atrás e era a arma da equipe prateada para tentar a vitória.

Hamilton finalmente fez seu pit-stop na volta 26. O tetracampeão regressou em sexto, 11s9 atrás de Räikkönen. Grosjean aparecia em sétimo como o 'melhor do resto' antes da sua parada. Hülkenberg, que virou sétimo após a troca de pneus do franco-suíço, era um dos primeiros a usar pneus duros e aparecia em oitavo com clara estratégia de uma parada, à frente de Esteban Ocon e Fernando Alonso fechando o top-10. 
Ericsson tentou fazer a curva 1 de pé cravado e DRS ativado. A batida foi forte (Foto: Reprodução)
Acidente com Ericsson muda (de novo) história da corrida

Bottas chegava perto de Vettel, tinha apenas 2s380, e se colocava como candidato real à vitória. Hamilton, por sua vez, acelerava e registrava a melhor volta da corrida e Ricciardo azua sua segunda parada, voltando a usar os pneus macios.

Susto na volta 33 levou a direção de prova a intervir com o safety-car. Marcus Ericsson perdeu o controle da sua Sauber em um acidente bastante estranho e bateu muito forte na barreira de pneus da curva 1. Tudo bem com o sueco, que foi muito aplaudido pelos torcedores britânicos. A bandeira amarela mudou a história da corrida e levou quase todo mundo de volta aos boxes para fazer mais um pit-stop. Mas a Mercedes foi novamente conservadora e manteve Bottas, novo líder, na pista. O finlandês não tinha pneus macios novos, diferente de Vettel.

O jogo virava para a estratégia. Na pista, Bottas liderava, com Vettel em segundo e Hamilton em terceiro. O britânico era realista: "Não vamos poder lutar com esses pneus", reclamando da tática escolhida pela Mercedes, que respondeu. "Você é o carro mais rápido".

A corrida retomou seu curso normal com a bandeira verde na volta 37, restando 15 para o fim. Vettel colou em Bottas para tentar buscar a liderança, enquanto Verstappen e Räikkönen travaram um duelo empolgante pela quarta posição. Até que o safety-car voltou à pista logo depois, na volta 39, or conta de uma batida fortíssima envolvendo Grosjean e Carlos Sainz. O espanhol estava um pouco à frente da Haas ao percorrer a curva Copse, quando foi tocado. Os dois foram parar na barreira de proteção.



O safety-car voltou aos boxes na volta 41, com dez giros para a bandeirada final. Bottas foi muito pressionado por Vettel, mas segurou a liderança no braço. Nisso, Hamilton tentava se aproximar e abria alguma vantagem para Verstappen, que vinha em quarto. A reta final de um grandioso GP da Inglaterra era sensacional. Mais atrás, Räikkönen fazia outra grande manobra e, sem o auxílio da asa móvel, passava de vez Verstappen para tomar o quarto lugar.

Vettel e Bottas travaram um duelo sensacional pela liderança. Com uma das melhores pilotagens desde que foi contratado pela Mercedes, Bottas se defendeu muito bem, enquanto Hamilton se segurava para evitar a ultrapassagem de Hamilton. Duas Ferrari brigavam contra duas Mercedes com sete voltas para o fim com apenas 3s7 separando os quatro primeiros. Verstappen, pouco depois, rodava e despencava de quinto para 13º.

Na volta 47, enfim, Vettel deu o bote sobre Bottas e fez a ultrapassagem que lhe valeu, pouco depois, a grande vitória do espetacular GP da Inglaterra. Em seguida, Hamilton passou o companheiro de equipe, que também acabou sendo superado por Räikkönen, que foi um dos grandes nomes do domingo.

F1 2018, GP da Inglaterra, Silverstone, corrida:

1   5 Sebastian VETTEL ALE Ferrari 52 voltas  
2   44 Lewis HAMILTON ING Mercedes +2.264  
3   7 Kimi RÄIKKÖNEN FIN Ferrari +3.652  
4   77 Valtteri BOTTAS FIN Mercedes +8.883  
5   3 Daniel RICCIARDO AUS Red Bull Tag Heuer +9.500  
6   27 Nico HÜLKENBERG ALE Renault +28.220  
7   31 Esteban OCON FRA Force India Mercedes +29.930  
8   14 Fernando ALONSO ESP McLaren Renault +31.115  
9   20 Kevin MAGNUSSEN DIN Haas Ferrari +33.118  
10   10 Pierre GASLY FRA Toro Rosso Honda +34.129  
11   11 Sergio PÉREZ MEX Force India Mercedes +34.708  
12   2 Stoffel VANDOORNE BEL McLaren Renault +35.774  
13   18 Lance STROLL CAN Williams Mercedes +38.106  
14   35 Sergey SIROTKIN RUS Williams Mercedes +48.113  
15   33 Max VERSTAPPEN HOL Red Bull Tag Heuer +6 voltas NC
16   8 Romain GROSJEAN FRA Haas Ferrari +13 voltas NC
17   55 Carlos SAINZ JR ESP Renault +13 voltas NC
18   9 Marcus ERICSSON SUE Sauber Ferrari +19 voltas NC
19   16 Charles LECLERC MCO Sauber Ferrari +32 voltas NC
20   28 Brendon HARTLEY NZL Toro Rosso Honda +51 volta NC


//